quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Os 7 tipos de plástico e como afetam a nossa saúde


O plástico está no nosso dia a dia e tem tantas vantagens que é difícil imaginar uma vida sem ele. O problema é que hoje sabemos que também faz mal à saúde.

Estudos já provaram que o BPA é uma substância química altamente tóxica encontrada no plástico e está associada a problemas endócrinos em crianças, à obesidade e ao câncer. É por isso que há produtos que vem com uma marca “BPA free”, quer dizer livre de BPA.

Existem 7 tipos de plásticos e cada um pode ter um efeito para o nosso corpo e para o planeta. Para começar temos que olhar um número que fica no recipiente que usamos para guardar comidas, por exemplo.  O número está dentro do símbolo da reciclagem  e não está evidente em geral está transparente e temos que olhar bem para encontrar!

Este número é que vai identificar o tipo de plástico do recipiente, seja ele uma garrafa pet, uma marmita ou produto de limpeza.

N.1 – PETE ou PET: este plástico considerado relativamente seguro, tem que ficar longe do calor. Se você esquecer a garrafa de água PET no carro debaixo do sol e beber dela, pode ficar intoxicado. Este tipo de plástico é poroso e acumula bactérias. Não é uma boa ideia reutilizá-lo. Recicle!

N.2 – HDPE ou PEAD (polietileno de alta densidade): Em geral opaco como em garrafas de leite, este plástico é considerado seguro e com baixo risco de soltar químicos no conteúdo. Pode ser reciclado.

N.3 – PVC (cloreto de polivinila): é um plástico resistente, mas não é considerado seguro para cozinhar ou aquecer. Conhecido pelos tubos PVC, este tipo contém substâncias químicas amaciadoras chamadas ftalatos ou plastificantes que interferem com o desenvolvimento hormonal e pode ser absorvido por itens alimentares.

O plástico filme usado para embalar alimentos é  PVC .Nunca cozinhe usando plástico filme,  especialmente em um forno de micro-ondas. Verifique os rótulos de brinquedos infláveis, brinquedos para bebês, etc. para garantir que eles estejam livres de PVC (e ftalatos e BPA). Este plástico raramente é aceito pelos programas de reciclagem.

N.4 – LDPE:  Este tipo de plástico é usado para fazer sacos de supermercado, alguns envoltórios de alimentos, garrafas transparentes e sacos de pão. Este plástico é considerado relativamente seguro. O problema com o LDPE é principalmente ambiental: não é reciclável através de guindastes e outros programas de reciclagem. Sugerimos reutilizá-los como bolsas de compras em vez de jogá-los fora após um uso. O ideal seria ter bolsas totalmente degradáveis para as compras e o cocô do cachorrinho.

N.5 – PP (polipropileno): Este tipo está nos canudos, tampas de garrafa,  copo do iogurte e  utensílios de cozinha e recipientes que vão ao micro-ondas. Como é resistente ao calor, pode ser considerado seguro  para o micro-ondas.  Isto não significa que é saudável consumir os alimentos que foram aquecidos no recipiente. Seguro, mas não tão saudável. Para o micro-ondas o ideal é esquentar em recipientes de vidros. Deixando o micro-ondas de fora, é considerado um plástico seguro e aceito pela maioria dos programas de reciclagem.

N.6 PS (poliestireno ou isopor): é usado nos produtos descartáveis e é o mais tóxico! Este plástico libera estireno, uma substância cancerígena e não são adequados para itens alimentares. Fazem mal, especialmente quando aquecidos. É difícil de reciclar e se não for reciclado, leva dezenas de anos para se decompor.

N.7 – PC, PLA e todos os outros: são os novos plásticos criados a partir de 1987, incluindo bioplásticos e outros diferentes tipos de plástico. Mamadeiras e garrafas de água podem usar este número 7.  Também peças de computador e outras tecnologias.
Não sabemos o que está neste tipo e a pergunta é: Vale a pena arriscar?

Este grupo inclui policarbonato (PC) e o polilactídeo (PLA), que são usados ​​para fazer recipientes para alimentos e garrafas de água reutilizáveis. Plásticos PC contêm a substância bisfenol-A ou BPA que pode ser transmitida em alimentos ou conteúdo líquido, e tem sido associada a diabetes, problemas de fígado e doença cardíaca.

Plásticos de PLA são feitas a partir de fontes renováveis ​​de plantas, eles não podem ser reciclados mas podem ser compostados.
O mais correto é eliminar qualquer produto relacionado com alimentos ou bebidas que esteja identificado como n.7. É difícil reciclar o plástico 7 e a maioria dos programas de reciclagem não aceita.

Eu estou cada vez mais longe dos plásticos e já há muito tempo dei o meu micro-ondas para não ter a tentação de usá-lo. E você, já começou a fazer a transição? Uma nova era nos espera. 

terça-feira, 12 de setembro de 2017

PROTÉINA NOSSA DE TODO O DIA: sem carne.

Este post foi inspirado por uma recomendação feita a um amigo de deixar de comer carne durante um mês, para uma limpeza do organismo física e espiritual. E como fazer isso? Comer carne é um hábito do brasileiro, mas muitos são os estudos que mostram que ela faz mal. A vantagem é que  a carne tem proteína, indispensável à nossa saúde.

As proteínas são constituídas por um conjunto de aminoácidos  e para ter o corpo saudável,  precisamos de muitos tipos diferentes de aminoácidos.  O nosso corpo é capaz de produzir aminoácidos, mas há aqueles que só podem ser assimilados com a alimentação. São chamados de aminoácidos essenciais.

O organismo elimina os aminoácidos que não são aproveitados. Por outro lado, se não temos a quantidade suficiente de proteínas, nosso corpo não pode funcionar normalmente. O excesso de proteína também pode causar problema e sobrecarregar os rins, por exemplo.

A boa notícia é que todos os alimentos contêm um pouco de proteína e uma grande variedade de alimentos à base de plantas fornecem muitos dos aminoácidos essenciais e por isso podemos passar tranquilamente um mês sem comer carne e até mesmo ficar sem ovo, leite, iogurte ou queijo, derivados de animal que contém proteína.

Existem 9 aminoácidos essenciais que devemos ingerir para ficar bem e ainda ajudamos o planeta. A criação de gado é uma das atividades que mais contribui para o aquecimento global.

-->
Abaixo os grupos de alimentos que contem os nove amino-ácidos essenciais:



Grupo 1 – Leucina:  algas marinhas, abóbora, ervilha e proteína de ervilha, arroz integral, sementes de gergelim, sementes de chia, grãos , agrião, ervas, soja, sementes de girassol, feijão, figos, abacates, passas, tâmaras, maçãs, mirtilos, azeitonas e até bananas.  


Grupo 2 – Isoleucina: centeio, soja, caju, amêndoas, aveia, lentilhas, feijão, arroz integral, repolho, sementes de cânhamo, sementes de chia, espinafre, abóbora, sementes de abóbora, sementes de girassol, sementes de gergelim, cranberries, quinoa, mirtilos, maçãs e kiwis.


Grupo 3 – Lisina:  feijão (o melhor), agrião, sementes de cânhamo, sementes de chia, espirulina, salsa, abacate, proteína de soja, amêndoas, castanha de caju e algumas leguminosas com lentilhas e grão-de-bico sendo duas das melhores.




Grupo 4 – Metionina : manteiga de semente de girassol, sementes de cânhamo, sementes de chia, nozes do Brasil, aveia, algas marinhas, trigo, figos, arroz integral, feijão, legumes, cebolas, cacau e passas.


Grupo 5 - Fenilalanina: : espirulina e outras algas, abóbora, feijão, arroz, abacate, amêndoas, amendoim, quinoa, figos, passas, folhas verdes, a maioria das bagas, azeitonas e sementes.

-->
Grupo 6 – Treonina: agrião e espirulina (que ainda excedem a carne), ora pro nobis, abóbora, folhas verdes, sementes de cânhamo, sementes de chia, soja, sementes de gergelim, sementes de girassol e manteiga de girassol, amêndoas, abacates, figos, passas, quinoa e trigo. Os grãos germinados também são excelentes fontes desse aminoácido também.



Aveia 
Grupo 7 - Triptofano:aveia,  farelo de aveia, algas marinhas, sementes de cânhamo, sementes de chia, espinafre, agrião, soja, abóbora, batata doce, salsa, feijão, batidas, aspargos, cogumelos, todas as alfaces, verduras folhosas, feijões, abacate, figos,  aipo, pimentão, cenoura, grão-de-bico, cebola, maçã, laranjas, banana, quinoa, lentilhas e ervilhas.





Grupo 8 – Valina: feijão, espinafre, legumes, brócolis, sementes de gergelim, sementes de cânhamo, sementes de chia, soja, amendoim, grãos integrais, figos, abacate, maçãs, grãos germinados e sementes, mirtilos, arandos (cramberries), laranjas e damascos.

-->





Grupo 9 – Histidina: arroz, trigo, centeio, algas marinhas, feijão, legumes, melão, sementes de cânhamo, sementes de chia, trigo sarraceno, batatas, couve-flor e milho.